terça-feira, 30 de março de 2010

sorri



Sorri quando a dor te torturar

E a saudade atormentar

Os teus dias tristonhos vazios

Sorri quando tudo terminar

Quando nada mais restar

Do teu sonho encantador

Sorri quando o sol perder a luz

E sentires uma cruz

Nos teus ombros cansados doridos

Sorri vai mentindo a sua dor

E ao notar que tu sorris

Todo mundo irá supor

Que és feliz

doce ilusão


É engraçado que uma mera ilusão transforma a vida.

Algo que a imaginação faz pra preencher o vazio que insiste em nascer em horas que menos se deseja, mas que mais necessita. o mais engraçado é ver a saudade fluir de coisas que só a imaginação fez surgir.

Sabor nem calor fazem parte do que o corpo quer quando a imaginação toma conta da alma, e de repente você se sente desprotegida, e deseja ardentemente por algo que só o intimo de sua imaginação criou.

QUERER estar tão distante do PODER bem mais do que se imagina. e o que a imaginação faz não nos leva pra perto do que podemos e sim próximo ao que queremos.

Doce ilusão do querer participar de algo que não se pode.

Então o por que da saudade de algo que de verdade não existe?


É pelo simples fato de que a imaginação se fez existir.