sexta-feira, 9 de julho de 2010

belo julho

Depois de um longo tempo e ter deixado passar junho em branco decido postar essa bela mensagem de um escritor não tão conhecido mas que expressa bem aqueles que gostam de escrever.


"Dificilmente estou seguro do que digo, principalmente tratando-se do começo. Por isso deixo a caneta deslizar solta, tingindo a brancura da folha com o que me corre.

Mas nada do que escrevo é necessário, nada do que eu digo merece macular o papel, apenas preciso escrever, seja o que for, isso ou aquilo, qualquer coisa...

Mas preciso a quem falrar, que não seja a mim mesmo...

...dirijo-lhe a palavra no intuito de livrar-me daquilo que tanto me abala, me tortura, me pede outra expressão fora da dor.

Procuro alguém mais que ouvinte, que se disponha a perde-se em labirintos sem a preocupação de retorno."
( Jomar A. Bordim Borges)