quarta-feira, 21 de novembro de 2012

"O que não me faz bem não deixarei que me faça Mal."

 
 Bom dia!!!
Esse escrito não é meu mas sei que vai acrescentar positivamente em nossos dias.
 
"Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.
 
Mais vale viver pra alcançar nossa felicidade, do que viver preso as coisas que não nos faz bem. E mesmo que tais coisas não nos façam bem, não devemos permitir que elas destruam a paz do coração.
O que realmente nos faz bem são os sentimentos constantes e não os amores vacilantes. São momentos de paz e não a inquietação do coração.
Nem sempre o que é mais fácil, será exatamente o melhor para nossa
a vida.
Uma triste prisão: a nossa comodidade. Nos prendemos as coisas e pessoas, mesmo sabendo que existem outras possibilidades ainda melhores, nos restringimos a uma vidinha mais ou menos por medo do novo."


"A mudança é a lei da vida. E aqueles que apenas olham para o passado ou para o presente irão com certeza perder o futuro."
 

domingo, 18 de novembro de 2012

Ciclos...

A vida passa por ciclos, cada transformação provoca dor. Dor para se fortalecer no próximo passo.
As marcas estarão presente em cada ciclo, às vezes cicatrizes de aprendizagem outras vezes dores ainda sangrentas (traumas).
O processo é longo e continuo, mas percebo a necessidadde da dor como uma troca de pele para mais uma etapa.
PREPARAÇÃO, creio que isso não existe, não há como se preparar, sentir é a única preparação cabível para o momento.
PARAR, isso jamais acontecerá porque mesmo  estando estático ao meu redor as transformações continuará impossibilitando nossa indiferença completa.
FUGIR é o mesmo que ADIAR, pior é que não dá pra adiar por muito tempo, é simplesmente a-d-i-a-r uma dor que virá. É inevitável.
Que fazer então?
ACEITAR porque essa é a única maneira de viver, é na dor que crescemos, é na dor do desabrochar de cada ciclo que seremos o que queremos. É na dor que descobrimos estar vivos quase desfalecendo, mas é na dor que encontramos forças pra continuar a viver essa vida de ciclos.
Viva na dor, mas não só na dor!