quarta-feira, 28 de abril de 2010


Depois de um gradioso recesso, me deparo com palavras que não saem de minha boca nem mente, simplesmente expressão o que sinto.


"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade".
Carlos Drummond de Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário