quinta-feira, 8 de abril de 2010

natureza

Hoje olhando o mundo percebi o quanto é difícil a vida lá fora, apesar de tanta beleza a visão se perde na penumbra do que é feio.
Vendo tanta beleza a nostalgia faz-me querer ser como ela, LIVRE, e de repente o encanto se perde e a realidade é menos bela do que realmente se ver. Não é a natureza do mundo mas sim a natureza dos humanos que se faz perder encantos. E essa música me soa aos ouvidos.
Às vezes pareciaQue, de tanto acreditar
Em tudo que achávamos tão certo
Teríamos o mundo inteiro e até um pouco mais
Faríamos floresta do deserto
E diamantes de pedaços de vidro
Mas percebo agora
Que o teu sorriso
Vem diferente
Quase parecendo te ferir
Não queria te ver assim
Quero a tua força como era antes.
O que tens é só teu
E de nada vale fugir
E não sentir mais nada
Às vezes parecia
Que era só improvisar
E o mundo então seria um livro aberto
Até chegar o dia em que tentamos ter demais
Vendendo fácil o que não tinha preço
Eu sei, é tudo sem sentido
Quero ter alguém com quem conversar
Alguém que depois
Não use o que eu disse
Contra mim
Nada mais vai me ferir
É que eu já me acostumei
Com a estrada errada que eu segui
E com a minha própria lei
Tenho o que ficou
E tenho sorte até demais
Como eu sei que tens também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário